25 de abril de 2010

25 de Abril

Era fácil hoje, dia 25 de Abril, chegar aqui ao blogue e fazer um post com vídeos ou fotos alusivas ao 25 de Abril e aos seus Capitães.
Era fácil, e acima de tudo era justo para todos aqueles que contribuíram para que em 1974 tivéssemos de facto um 25 de Abril.
Mas isso já foi feito, e muito bem, por gente muito mais talhada para essas funções que eu, e assim sendo não iria acrescentar mais brilho ao já de si brilhante passado de tão valorosa gente. Estou e estarei eternamente grato aos nossos Capitães de Abril e a todos os que com eles trabalharam e sofreram para que pudéssemos viver em Liberdade e Democracia neste país.
Mas hoje, passados que estão 36 anos do 25 de Abril e tendo em conta o lodaçal político e social em que vivemos, eu não posso deixar de pensar no quanto sofrerão aqueles que lutaram, correndo por ventura o maior risco das suas vidas, para que Portugal fosse um país diferente para melhor, ao verem o estado a que chegámos.
Deixemo-nos de festas, de fogos de artifício e de bandas filarmónicas nas ruas, deixemos de nos enganar a nós próprios, porque não é tempo para isso.
Portugal, ao invés de festejar, deveria de parar para pensar se foi para isto que temos hoje que se fez o 25 de Abril.
Não foi seguramente meus caros concidadãos. A hora não é de festa, a hora é de seriedade, a hora é de repensar o país, repensar as opções políticas e de mudança o quanto antes.
E essa mudança tem uma forma simples de se iniciar. É nas urnas, quando formos pôr o nosso voto, que a mudança tem de começar. As casas constroem-se pelos alicerces, e o alicerce principal da Democracia é o voto.
Em 36 anos de Democracia este país só conheceu duas realidades governativas, PS e PSD, e esses trouxeram-nos ao estado actual.
Foi para isto que se fez o 25 de Abril ?
Mais uma vez digo, não foi.
É tempo de parar, de não mais cometer os erros que cometemos ao longo dos últimos 36 anos. E o mais espantoso é que para isso acontecer basta a nossa vontade, a nossa consciência, o nosso sentido patriótico.
Vivemos num país minado pela corrupção, e esta corrupção tem Pai e tem Mãe. São o PS e o PSD, foram eles quem a geraram e a criaram. E ela cresceu bem, forte e robusta.
Mas há um ponto, um simples ponto, onde a corrupção por mais forte que seja não consegue prevalecer nem ganhar. Esse ponto é o voto. Tire-se do poder esta dupla corrupta e corruptiva do PS e PSD e outro Portugal se abrirá de par em par para todos nós.
E quem sabe, aí tenhamos o país que os homens que fizeram o 25 de Abril sonharam um dia.
Mostremos a nós e aos nossos filhos que o 25 de Abril não foi uma revolução que aconteceu há 36 anos atrás. Mostremos-lhes que Abril é hoje, que Abril pode e deve ser amanhã, e que o sonho de Abril é uma realidade. Assim nós o queiramos.

Viva Portugal
Viva Portugal
Viva Portugal

12 comentários:

  1. Ainda acredito que os meus netos vão ter uma vida melhor.

    Pela renovação de Abril
    em cada Primavera porvir.

    ResponderEliminar
  2. Tite, eu também quero acreditar que sim, que as gerações vindouras terão melhor vida que nós.
    Mas no imediato a situação está "negra". E com a aposta descarada na (des)Educação que os nossos sucessivos gvernos têm feito, e que quanto a mim é propositada, porque nada como um povo inculto, estúpido e desinformado para melhor o manietar, as gerações vindouras são capazes de não ter a vida que nós ansiamos.
    E dá-me uma pena ver o desperdício que se tem feito duma coisa tão bonita como o 25 de Abril.

    ResponderEliminar
  3. Uma análise correcta pura e dura! Um apelo ao estado do País, que caminha a passos largos para a degradação completa. É sim momento de reflexão, nunca de festejo, porque a Liberdade que vivemos hoje em dia em Portugal, é uma falsa Liberdade, que vai condicionar o futuro das gerações vindouras. Eu acredito realmente, que a única saída seria o voto. Posto que o poder não interessa informar, mas apenas iludir, o povo deixou de cumprir o seu dever cívico. Mas a culpa não é do povo, é da desinformação e controlo completo das mentes através dos Media, uma arma poderosíssima ao serviço do poder. O Dono é Balsemão, Um Bilderberg poderoso, como já sabes, e President of a European Publisher Council. Enquanto este homem controlar a Verdade, enquanto for o carrasco dos mensageiros do povo, os jornalistas isentos, de investigação e de craveira, não haverá voto que nos valha. Eles comandam o "rebanho" menos informado, com promessas e mensagens subliminares na TV, jogos, tudo o que seja para alienar. Quando muito poderiam todos ir votar, mas não te esqueças que Hitler moveu um País inteiro usando os Media e levando os seus seguidores por indução, a uma Guerra sem precedentes...
    Claro que são tempos de preocupação com o futuro. Hoje culpo os mais informados. Não foram os estudantes universitários antes da Revolução do 25 de Abril, um motor de arranque para a desestabilização da Ditadura?! hoje culpo os mesmos de se deitarem á sombra da bananeira, a curtir a qualidade de vida que usufrem, sem o menor sentido de cidadania e sem proteger os Direitos dos mais desprotegidos!
    Esses que hoje festejam o 25 de Abril com pompa e circunstancia, deviam ter vergonha na cara!

    Grande texto e reflexão. Obrigada Eduardo!

    ResponderEliminar
  4. Grande comentário e reflexão. Obrigado Fada.
    E no meu comentário à Tite acabo por sintetizar muito do que dizes no teu comentário. Penso eu !

    ResponderEliminar
  5. Pois... é verdade, só que ainda não tinha lido! Parabéns! :)

    ResponderEliminar
  6. Abril é como o Natal, sempre que um homem quiser.
    Entre nuvens tão negras que ameaçam os nossos horizontes imediatos há que saber procurar os pequeninos sinais da mudança, e esses, estão um pouco por todo o lado, como aqui neste blogue.

    ResponderEliminar
  7. Zoltrix, obrigado e seja bem vindo aqui a este meu cantinho.

    ResponderEliminar
  8. Eduardo, eu não acredito que o voto, por si só, consiga tamanha façanha; seria demasiado fácil.
    Foi divulgado o resultado de um inquérito que mostrava que a corrupção era aceite desde que a sociedade também fosse beneficiada...
    Ora, assim...

    ResponderEliminar
  9. Paulo, eu acredito que o voto é o primeiro passo e é, para mim, o mais significativo. Claro que "per si" não chega o voto, depois e logo de seguida vem o factor Educação que já aqui foi referido em comentários anteriores. Se o voto é o alicerce da democracia, a Educação é o alicerce de um povo. O resto, leva tempo, mas com as bases sólidas, torna-se possível.

    ResponderEliminar
  10. Mas se já hoje as pessoas podem mudar o sentido do voto, porque razão não o fazem?
    Qual o motivo que leva a que candidatos "duvidosos" continuem a ser eleitos por esse país fora?
    ....

    ResponderEliminar
  11. Paulo, a tua questão é pertinente, e eu, muito sinceramente, respondo-te de forma que pode ser vista como demasiadamente simplista.

    - Isso acontece porque em Portugal há falta de cultura/maturidade democrática.

    De 1974 até aos dias de hoje queimaram-se demasiadas étapas no crescimento democrático que deveríamos ter tido. Saiu-se duma ditadura para uma sociedade de consumo (desenfreado) de forma demasiado rápida e insustentável. As pessoas viram-se subitamente envolvidas num nível de vida superior, suportado pelo facilitismo nos créditos, e quando assim acontece, é fácil as pessoas aceitarem as palavras dos "pregadores" demagógicos que prometem Édens.
    Repara que nas sociedades do Norte Europeu, esse tipo de discursos não ganha Governos, porque a maturidade democrática das sociedades de lá é outra.

    ResponderEliminar