29 de dezembro de 2010

Deixem-me dar-vos música ... a sério, e da boa !

Quando tento resumir à expressão mínima o que foi o ano de 2010, surge-me invariavelmente a ideia de que levaram o ano a "dar-nos música", com tudo o que de mau esta expressão acarreta.
Por isso, na hora de deixar aqui o último post de 2010 pensei que devia responder à letra, mas tentando, como é meu timbre, fazer mais e melhor.
Nesse sentido, decidi presentear todas as minhas queridas e queridos seguidores ou meros visitantes, com uma música dum dos meus músicos preferidos e que considero um verdadeiro génio.

A imagem do vídeo não está "grande espingarda", mas a performance do Bobby McFerrin, essa, está magistral !


Boas entradas, e feliz 2011 !

27 de dezembro de 2010

Reforma jovem, eis a solução !

O brilhantismo das opções políticas tomadas pelos sucessivos governos PS e PSD trouxeram-nos ao calamitoso estado actual da nação, em particular no que às questões do emprego e das reformas diz respeito.
Não só criaram condições que obrigam os idosos a trabalharem mais e mais, quem sabe até ao fim das suas vidas, tornando-nos inclusivamente no povo Europeu que trabalha até mais tarde e que menos anos goza a sua reforma, como ainda conseguiram que o desemprego da juventude Portuguesa atingisse, já este ano, valores na ordem dos 20%.
A pirâmide está totalmente invertida e começo a pensar que o melhor será que se acabe, de facto, com as actuais reformas.
Proponho mesmo, que os jovens a partir dos 18 anos passem a receber uma "reforma jovem" paga, obviamente, com os descontos que os idosos farão nos seus ordenados, e que a mesma seja paga até que os jovens entrem, finalmente, no mercado de trabalho, aí por volta dos trinta e tal, quarenta anos.
Desta forma resolver-se-iam os problemas de falta de liquidez da Segurança Social, e passaríamos a ter , por um lado, os mais bem dispostos jovens Europeus, por outro, os mais activos "velhinhos" de toda a Europa.

Para grandes males, grandes remédios !

23 de dezembro de 2010

22 de dezembro de 2010

João (Judas) Proença.

Sendo ateu, devo confessar que não domino na perfeição os assuntos de carácter Bíblico.
Sei, no entanto, que no Natal se celebra o nascimento de Jesus e que na Páscoa se celebra a sua morte e respectiva ressureição. Sei também, que um dos grandes culpados da morte de Jesus, de acordo com o relatado na Bíblia, foi Judas, que traiu Jesus a troco de 30 moedas de prata.
A ele, João Proença, ficar-lhe-ia melhor falar de questões bíblicas mais perto da Páscoa, uma vez que é aí, nessa altura, que Judas mais se evidencia na história.

21 de dezembro de 2010

Será que é desta que nos livramos deles ?

Segundo notícia do Correio da Manhã, devido à crise, as "Mães" já começaram a fugir. Só falta começarem a levar os "Filhos" com elas !

17 de dezembro de 2010

Momentos

O som do saxofone era inebriante, cheio de swing, numa interpretação magistral dum velho êxito de Charlie Parker. A pequena sala estava quase cheia, e a atmosfera azulada pelo fumo dos cigarros conferia-lhe um ambiente único na noite de Lisboa. Fazia-se sentir o silêncio dos verdadeiros apreciadores do bom Jazz, apenas entrecortado, aqui e ali, pelo gelo que tilintava nos copos.
No fim da actuação a plateia emerge em aplausos que, não sendo efusivos, são bem demonstrativos do quanto haviam gostado. Aquela tribo do Jazz era doutro nível, não se desfaziam em estridentes aplausos à toa, eram conhecedores profundos do que ouviam e como tal tornaram-se exigentes, até mesmo selectivos.
De súbito, um indivíduo de meia-idade, com um proeminente bigode preto aborda-o.

- É a 1ª vez que cá vem ?

- Sim, de facto é, nota-se muito ?

Sorrisos.

- Nota-se pois, mas estive a observá-lo e pela forma como fechou os olhos e batia ritmada e acertadamente os pés. Digo-lhe uma coisa, você tem “swing”.

- Obrigado, mas olhe que não distingo um Dó dum Ré.

- Nem isso é preciso, o Jazz sente-se e vive-se sem pauta.

Seguiu-se uma ligeira palmada nas costas e aquela simpática personagem sumiu-se na azulada nuvem de fumo.
O resto da noite foi agradável, e ao sair sabia que ia voltar, e não seriam tão poucas vezes assim.
E assim foi, lá voltou, não tantas vezes como as que havia pensado voltar, mas ainda assim as suficientes para aprender a gostar cada vez mais de Jazz.
Das vezes que voltou, não mais viu aquela afável figura que o havia interpelado na sua 1ª visita. Só mais tarde, ao ver na televisão o programa de Jazz do José Duarte é que deu de caras com aquela figura de novo.

Era o Luiz Villas Boas, grande figura do Jazz nacional, considerado mesmo o Pai do Jazz em Portugal e que, sem que eu soubesse, me apadrinhou na minha primeira visita ao já saudoso, Hot Club, em meados dos anos 80.

14 de dezembro de 2010

Pensamentos.

“Dívida de gratidão”

Expressão abominável esta, porque deturpa pela base a essência da gratidão.

A verdadeira gratidão existe nos dois sentidos, isto é, de quem a pratica para quem a recebe, assumindo aí um carácter de bem feitoria desprendida e sem qualquer perspectiva de ressarcimento futuro envolvido, bem como, de quem a recebe para quem a praticou, e nesse caso assume as formas de agradecimento, admiração e reconhecimento nos seus estados mais puros.

A gratidão é gratuita, não tem qualquer tipo de preço, razão pela qual jamais poderá constituir-se como dívida.

13 de dezembro de 2010

Não sei se ria, se chore ...

(recebido por mail)
A avó diz à neta:
- Eu, com a tua idade já trabalhava!...
A neta responde:
- Eu, com a tua idade, ainda vou estar a trabalhar...

9 de dezembro de 2010

Ressaca - Uma crónica dos anos 80.

O acordar lento e doloroso, aquela secura extrema na boca, que lhe conferia uma textura encortiçada, o calor do sol do meio da manhã que já se fazia sentir, num quarto impregnado de aromas etílicos, e eis que, ao primeiro movimento no sentido de levantar a cabeça, surge a confirmação.
Ressaca ! e das valentes.

- Porra ! por onde é que eu andei ontem ?
- Ah ! já sei … pois é, a coisa ontem toldou um bocado.
- Xiii pá ! que horas serão isto ?
- Deixa-me cá levantar, devagarinho, não vá a carga toldar e estragar o resto.

Alcançada a posição de sentado na cama, as primeiras tonturas surgem, mas depressa o cérebro se habitua à posição vertical.
Menos mal, agora, apoiado à cabeceira da velha cama de ferro, ergue-se, até estar totalmente de pé. Num passo trôpego, alcança a alça da persiana, que abre apenas até que a luz passe pelos buracos. Abri-la toda seria, seguramente, caminho certo para uma cegueira imediata e momentânea, provocada pelos raios daquele Sol de Verão.
Abre a janela, para que o ar limpo e carregado de maresia entre naquele fétido ambiente do quarto e assim se deixe de sentir no interior dum alambique.
Duas inspirações mais profundas, e eis que o vómito surge de súbito, mas ele controla-o , com esforço é certo, mas repleto de apuro técnico conquistado em ocasiões anteriores. Chegado à porta do quarto, abre-a, somente o suficiente para espreitar se o caminho até à casa de banho está livre. A Mãe está lá fora, a estender a roupa. Não há tempo a perder. Em passadas rápidas, ainda que titubeantes, alcança a casa de banho. Uma vez lá dentro tranca a porta. Abre a torneira do lavatório e bebe. Bebe muita água, mesmo muita.

- Ai que bom ! nunca mais me enfrasco outra vez, porra !

De súbito, a Mãe entra em casa e repara na porta do quarto aberta.

- Estás onde ?
- Estou na casa de banho, Mãe.
- Que horas eram ontem quando chegaste ?
- Ontem não … hoje, Mãe, já foi hoje !

A piadinha aliviava sempre a pressão que a velhota exercia naquelas ocasiões.

- Estás muito engraçadinho estás, deixa que o teu Pai depois fala contigo. Ai rapaz que tu não ganhas juízo e eu já não sei o que te diga.
- Deixa lá Mãe, não fiz nada de mal.

De imediato lava os dentes, de forma frenética e com abundância de pasta dentífrica, como se daquela forma pudesse limpar e refrescar não somente a boca, mas todo o interior da sua latejante cabeça.
O banho, longo, começa por água tépida, que gradualmente vai arrefecendo até só já correr água fria do chuveiro.
Sente-se melhor, revigorado.
O desodorizante e o perfume devolvem-lhe a dignidade até ali perdida.
Sai, de toalha à cintura, já com as tonturas controladas e sorri de forma descarada à Mãe, dando-lhe um beijo de bons dias.
Veste-se, e quando se prepara para o pequeno-almoço, a Mãe surpreende-o com um copo de leite na mesa.
Leite ? pensa ele para com os seus botões. Com esta ressaca se bebo um golo “vai tudo fora”.

- Ò Mãe, obrigadinho mas eu não quero leite. Bebo antes um suminho de laranja.
- Suminho de laranja ? Estás bonito estás. Andaste a beber ontem, não foi ?

A velhota já lhe conhecia as fraquezas, e ele acabara de cometer deslize fatal com a história do suminho.

- Lá estás tu Mãe, é obvio que bebi, pois se uma pessoa sai à noite, é claro que bebe. Agora dai até ficar bêbado …

O encolher de ombros da Mãe sentencia a conversa, e transmite-lhe, por um lado, o descanso da mesma ter ficado por ali, por outro, a tristeza de ver que a Mãe ficou arreliada com a situação.
Sai de casa, lampeiro, e já com outro ânimo, toalha ao ombro em direcção à praia. Por lá encontra os amigos do costume e quase todos se encontram em idêntico estado de ressaca. O dia corre solto, e eis que chega a noite.
Encontram-se no bar do costume.
O empregado pergunta :

- O que é que vai ser ?


A história repete-se, até que Setembro chega, e com ele as responsabilidades da vida !

7 de dezembro de 2010

Parabéns Ary.

O grande poeta José Carlos Ary dos Santos, faria hoje 74 anos caso fosse vivo.
Já não está, infelizmente, entre nós, mas a obra que nos deixou é imortal, e do muito que é possível encontrar pela Net relativo ao grande Ary, recomendo vivamente que visionem a maravilhosa composição vídeo que abaixo vos indico.
Vejam e oiçam, desprovidos de quaisquer sentimentos politico-partidários, vejam e oiçam, como Portugueses, como filhos duma nação que sofreu e que volta a sofrer, mas que teve a capacidade de criar homens com a nobreza de carácter, com a dimensão humana, e com a genialidade de José Carlos Ary dos Santos.
Até sempre Ary, até sempre.

http://videos.sapo.pt/QItkTGcDjiE0OItdsCaP

p.s.
São 16 minutos de vídeo, aparentemente é muito, ainda assim é certamente pouco, para a grandeza de Ary dos Santos.

5 de dezembro de 2010

Surdez selectiva.

Ando assim descansado
Com o silêncio por companheiro
No meu canto acoitado
Sou agulha num palheiro

Oiço ao longe aquelas vozes
Não lhes entendo o sentido
Vejo as caras ferozes
Cheias de ódio desmedido

São demasiadas conversas
Desprovidas de conteúdo
São umas almas perversas
Dizendo mal de tudo

Tanta gente a falar
Tanta palavra proferida
Com tão poucos a acertar
Com o discurso certo da vida

Quem muito fala, pouco acerta
Já dizia o velho ditado
Deixando de ter o ouvido alerta
Passei a viver descansado

Bem dita esta surdez
Que aprendi a criar
O bem que ela me fez
Foi deixar de me arreliar

Mantenho um bom ouvido
Só para os amigos verdadeiros
Pois com esses faz sentido
Falar os dias inteiros

3 de dezembro de 2010

Morte e Resurreição de Keynes.

Explicado assim, por quem sabe, até fica fácil entender.
E o Pacto de Estabilidade e Crescimento ? esse tal PEC Europeu, é cá um "amigo" !

30 de novembro de 2010

O artista morre, a oba é eterna.

O maior dos artistas é, sem sombra de dúvidas, aquele que acaba ultrapassado pela sua própria obra.
Não há muitos assim, é um grupo restrito, um grupo onde só entram os maiores génios que a Humanidade conheceu, e entre eles está, também sem sombra de dúvidas, Fernando Pessoa.
A sua genialidade coloca-o nesse patamar de artistas que acabaram por ser ultrapassados pela sua própria obra.
Quando hoje se ouve a magnífica interpretação da canção "O doce mistério da vida" pela bela voz de Maria Bethânia, a maior parte das pessoas nem saberá, com certeza, que se trata dum poema de Fernando Pessoa, ou quando ouvimos o belíssimo fado "Mar Salgado", intrepertado pelo, também ele genial, Carlos do Carmo, também muito boa gente não saberá que se trata doutro poema de Pessoa.
Fernando Pessoa está para a literatura (Portuguesa), como Leonardo da Vinci está para a pintura. Todos reconhecem o quadro “Mona Lisa”, mas perguntem a todos esses, quem o pintou ? e verão que muitos não saberão responder. É um caso em que a obra ultrapassou o artista.
Fernando Pessoa foi, felizmente, muitas vezes ultrapassado pela sua magnifica obra.
Faleceu, faz precisamente hoje,75 Anos.

Pessoa morreu, a sua obra não !

29 de novembro de 2010

Já vem tarde ...

O Presidente de Portugal, Prof. Cavaco Silva, afirmou na sexta-feira passada que a Educação deverá ser um desígnio nacional assumido por todos.
Pena que durante os 10 anos que duraram as suas duas legislaturas, o Sr. Professor não se tenha lembrado disso.

26 de novembro de 2010

23 de novembro de 2010

Greve geral.

O "chegateaqui", enquanto blogue responsável, solidário e defensor dos mais nobres direitos e garantias dos trabalhadores, anuncia a sua adesão à Greve Geral de dia 24 de Novembro.

20 de novembro de 2010

SATO, um exercício de imaginação.

Imaginemos que um conjunto de países do Atlântico Sul, como por exemplo o Brasil, a Venezuela, Angola e África do Sul (para só mencionar alguns dos que patenteiam maior poder económico e militar), decidem criar uma organização politico-militar de nome SATO (South Atlantic Treaty Organization) que seja em tudo idêntica à nossa conhecida NATO.
Imaginemos que a SATO, numa das suas primeiras reuniões, delibera a necessidade de uma forte intervenção militar nos países 1ºMundistas do Atlântico Norte (EUA e Europa) com vista à regularização da economia mundial, ao esbatimento das assimetrias gritantes entre os dois hemisférios e à recuperação da qualidade ambiental no planeta.
Como bem sabemos, os EUA e a velha Europa são as zonas do mundo onde o consumismo atingiu níveis mais elevados, e também sabemos que esse mesmo consumismo desenfreado é o culpado dos maiores atentados ambientais a que temos assistido, bem como da brutal crise económica que sentimos actualmente.
Para quem considere legal e justa a existência duma "coisa" chamada NATO, que entra pelos países dentro para repor a ordem que os seus responsáveis julgam necessária, penso que seria da mais elementar justiça considerarem como aceitável que algo como a "minha" imaginária SATO pudesse vir a existir.
E só para finalizar todo este exercício de imaginação, peço-vos que tentem imaginar que cenário teríamos no nosso mundo, quando a SATO interviesse militarmente nos EUA e na Europa ?
Pois é !
Não é nada agradável o resultado desta imaginação, pois não ?
E se nós, no Atlântico Norte temos a NATO, porque é que os países do Atlântico Sul não podem ter uma SATO ?
Ou porque é que os países do Índico e Médio Oriente não podem ter uma IMETO (Indic and Meadle East Treaty Organization) ?

Só espero que não hajam alguns Srs. com poder, noutras partes do mundo, a ter a mesma imaginação que eu estou a ter !

19 de novembro de 2010

NATO ... não obrigado !

Eles aí estão com pompa e circunstância, e é bom não esquecer, também com muita despesa, qualquer coisa como 10 Milhões de Euros de custo, só com despesas de Segurança.
Falo, como é óbvio, da NATO e da sua cimeira de Lisboa.
Primeiro, não consigo entender como é que uma organização militar como a NATO não disponibiliza os seus próprios meios para efectuar a sua segurança, preferindo delegar nos seus anfitriões esse ónus, o que, a meu ver, pode inclusivamente potenciar o risco de atentados.
Depois, não consigo deixar de ficar indignado ao receber no meu país, uma organização pela qual nutro a maior das antipatias e que repudio veementemente.
A NATO, mais não é que o braço armado dos grandes interesses capitalistas que conduziram a sociedade ao seu estado actual, quer seja no aspecto económico-financeiro, no aspecto social, e não menos importante, no aspecto ambiental.
Podemos colher informação na Net, em enciclopédias, onde se queira, sobre a NATO, a sua formação, os seus objectivos, que tudo quanto lemos é, simplesmente, falso.
A verdade é que depois da queda dos grandes regimes totalitários na Europa, havia que impor os grandes interesses capitalistas que vinham, tanto de fora (EUA), bem como de dentro (grandes potencias Europeias, com Inglaterra, Alemanha e França à cabeça). Como os ventos da democracia se faziam sentir, essa imposição tornava-se difícil e como tal criou-se, de forma legal, mas não justa, a NATO.
A NATO, o que faz é impor pela força das armas, pelo medo e pelas pressões políticas, as regras que os grandes interesses capitalistas julgam necessárias para fazerem perpetuar os seus lucros e a sua cega ganância.
Receber esta organização em Portugal é, para mim, uma tristeza assinalável.
Não posso acabar sem deixar de reproduzir aqui, por escrito, algo que muitas vezes tenho afirmado de forma verbal :

- A NATO está para os grandes interesses capitalistas, como a ETA está para o Batasuna, ou como o IRA está para o Sinn Fein.

São terroristas legalizados e pagos com o dinheiro dos capitalistas que nos tentam devolver a uma existência miserabilista e desumana, em tudo semelhante àquela que a humanidade conheceu nos tempos da Revolução Industrial.

16 de novembro de 2010

Vacinas para a crise ?

Agora, nos últimos dias, surgiu novamente o perigo de contaminação por parte da Irlanda.
Desconhecia esta faceta pandémica da economia, mas não posso deixar de pensar que se a maleita é esta, então, somos capazes de estar cheios de sorte.
Senão vejamos, se a situação da crise é algo pandémico, o problema poderá ser resolvido com a vacinação adequada, e assim sendo, basta que o nosso 1º Ministro tenha (pelo menos uma vez na vida) um rasgo de inteligência e substitua o Teixeira dos Santos pela Ana Jorge.
Sim, porque a avaliar pela forma como ela desatou a comprar vacinas da Gripe A que davam para vacinar a população Portuguesa algumas 3 ou 4 vezes, podemos de certeza confiar-lhe a pasta das Finanças que ela há de tratar de encontrar laboratório que lhe venda as bem ditas vacinas que nos hão de livrar dos malvados do FMI.

12 de novembro de 2010

Cale-se de uma vez por todas, Sr. Dr. !

É hora dos Portugueses apelarem à sua memória, rebobinarem o filme da vida Portuguesa desde o 25 de Abril para cá e não permitirem mais que dislates como este, que na pessoa do Dr. Mário Soares, mais do que comuns, são isso sim, uma idiossincrasia, voltem a afectar a vida de todos nós da forma violenta que já nos afectaram no passado.
O problema, Dr. Mário Soares, é que nem todos os Portugueses levam a faustosa vida que o Sr. Dr. sempre levou, mesmo quando se auto-exilou nos luxuosos corredores do poder em Paris.
Quando o FMI cá entrou, em 1983, trazido pela sua própria mão, ele foi bem mais que o "bicho papão" que o Sr. Dr. diz não ser.
Portugueses, caros Portugueses, apelem por favor à vossa memória, informem-se por favor.
Em 1983, a situação económica do país era de facto catastrófica, e o brilhantismo político do Dr. Soares (já anteriormente revelado no brilhante processo de descolonização enquanto Ministro dos Negócios Estrangeiros) levou-o a "solicitar" um empréstimo ao FMI.
Num só dia, o Escudo desvalorizou 12%, a inflação disparou e era actualizada diariamente, tendo chegado a uns estrondosos 30%, os impostos sofreram aumentos históricos, tivemos de imediato as maiores taxas de desemprego de que há memória, salários em atraso, e uma descida vertiginosa dos salários reais.
A situação só não foi mais catastrófica para o nosso país, porque nos anos vindouros, os apoios comunitários da então CEE começaram a chegar, e dessa forma o escabroso acto político do Dr. Mário Soares, ao solicitar a ajuda do FMI, acabou por ficar camuflado e branqueado com todo esse dinheiro fresco da CEE que nos tirou da miséria a que estávamos destinados.
Alguém que sujeitou os Portugueses a este sofrimento, tem ainda o desplante de vir agora sugerir que a repetição desta medida não é necessariamente um mal ?
Eu espero que esta nova crise tenha pelo menos o condão de colocar os Portugueses a pensar, a relembrar, a informarem-se e a não permitirem mais que este Sr., e outros como ele, possam vir a ter o poder de decidir sobre as nossas vidas.

11 de novembro de 2010

Adeus, senhor do adeus.

Figura emblemática da noite Lisboeta, João Manuel Serra, conhecido como o "homem do adeus", faleceu ontem aos 80 anos.
Foram tantas as vezes em que, ao sair já tarde do trabalho, chateado, stressado e cansado, chegava com a mota ao Saldanha e deparava-me com ele, o "homem do adeus". Acenava-lhe, dizia-lhe adeus, e ele, invariavelmente, respondia com um caloroso aceno de adeus, muitas das vezes "recheado" com um carinhoso beijinho.
Acreditem, sabia-me tão bem, reconfortava-me aquele humanismo desprendido e sincero, que é coisa cada vez mais rara no mundo de hoje, em especial numa cidade grande como Lisboa.

Hoje, caro João Serra, sou eu que te digo ADEUS, já cheio de saudades, e acrescento ainda um respeitoso beijinho.

Até sempre.

10 de novembro de 2010

Todos unidos em defesa dos que passam fome.

(recebido hoje por mail)

Meus amigos,

Todos os dias há restaurantes e cafés a não deitarem para o lixo os "restos de comida" mas sim a oferecê-los através de instituições ou directamente às famílias que já não conseguem fazer uma refeição diária, apesar de o terem de fazer secretamente, pois violam claramente a lei de saúde pública que determinantemente o proíbe .

Também nas cantinas das grandes empresas, díariamente sobram centenas de refeições que obrigatóriamente e por lei têm de ser deitadas no lixo .

Está a correr uma petição para que a lei seja alterada com toda a urgência pela Assembleia da República.

Assinem e convidem os vossos amigos a assinar:


São já muitos os que estão a passar fome e todos sabemos que nos tempos mais próximos toda esta situação se vai agravar. Não podemos ficar de braços cruzados.

Sejamos solidários!

Abraços,
Eduardo Miguel Pereira

9 de novembro de 2010

Prémio Dardos.

«O Prémio Dardos é o reconhecimento dos ideais que cada blogueiro emprega ao transmitir valores culturais, éticos, literários, pessoais, etc... que em suma, demonstram sua criatividade através do pensamento vivo que está e permanece intacto entre suas letras, e suas palavras. Estes selos foram criados com a intenção de promover a confraternização entre os blogueiros, uma forma de demonstrar o carinho e reconhecimento por um trabalho que agregue valor à Web»



Quero por isso agradecer a atribuição deste prémio aqui ao meu chegateaqui por parte da minha amiga Teresa do blogcronicasdateresa, da minha amiga Benjamina do Armazém de Pedacinhos, do meu amigo João António da Tasca do Ti João, e do meu amigo (mais que especial) Miguel Pereira do Escondidinho.

Eis as "regras" (para quem não goste de seguir regras, leve apenas o selinho e coloque se gostar)
- Exibir a imagem do Selo no Blog
- Exibir o link do blog que você recebeu a indicação
- Escolher 10, 15 ou 30 blogs para dar a indicação e avisá-los.

Eu vou quebrar as regras, até porque, para as cumprir iría criar, em boa parte dos casos, uma "pescadinha de rabo na boca", premiando aqueles que me têm premiado a mim.

8 de novembro de 2010

Se fosse eu a mandar ...

Este "Jesus" :


já não faria parte do presépio neste Natal !

6 de novembro de 2010

FMI - José Mário Branco

Sempre que oiço, arrepio-me até á medula, pela mensagem, pela genialidade da escrita, pela força brutal da interpretação, e pela tristeza que me invade ao pensar que voltou a ser mais actual que nunca.
Obrigado Zé Mário, tu disseste tudo.

PARTE I

PARTE II

2 de novembro de 2010

São uns mãos largas !

Lamento apenas que o Sr. Karl Falkenberg, que é Alemão, não tenha conseguido convencer a sua Chanceler, Angela Merkel, a desviar alguns Euros dos gastos Alemães com armamento em 2009, qualquer coisa como 46 Biliões de Dólares, para esta ajuda da UE para a Biodiversidade.

Só um dos países da UE gasta 46 Biliões de Dólares em armamento num ano, depois, quando se trata de tentar preservar a Biodiversidade no planeta, o que equivale a dizer, preservar a nossa própria vida, a UE, no seu todo, despende 2 Milhões de Euros.

São uns mãos largas, estes nossos líderes Europeus !

P.S.
Aconselho vivamente a visualização do vídeo sobre a extinção da Biodiversidade que coloquei na barra lateral esquerda do Blogue.

30 de outubro de 2010

Dieguito, feliz cumpleaños !



O "Deus" do Futebol faz hoje 50 anos.
Muitas vezes se discute quem terá sido o melhor jogador de futebol do Mundo de todos os tempos, e eu concordo com aqueles que dizem que Maradona não o foi.
De facto, Maradona não foi o melhor jogador de futebol do Mundo, pelo simples facto de que ele, pura e simplesmente, não era jogador de futebol.
Ele era, e para mim continuará a ser, uma entidade divina com uma bola de futebol nos pés. Era algo que ainda hoje, nem eu nem ninguém, poderá explicar concretamente o que foi.
Ver Maradona jogar futebol foi, sem qualquer tipo de dúvidas, um dos maiores privilégios que tive até hoje.
Eu quero lá saber das drogas, do álcool ou doutros problemas que ele teve, ou que lhe arranjaram.
Para mim estás perdoado Maradona, nada disso pode apagar a tua genialidade, a magnificência com que tu flutuavas pelos campos de futebol com a bola nos pés.
Obrigado Maradona, muito obrigado por nos teres dado tanto prazer a ver-te fazer aquilo que só tu foste capaz de fazer.


DIEGO "EL PIBE" MARADONA
feliz cumpleaños 

29 de outubro de 2010

Bruxedos importados.

Não querendo parecer um ultra-conservador, até porque na realidade estou longe de o ser, confesso que me faz uma certa, para não dizer muita, urticaria, verificar a forma como as nossas novas gerações são vítimas de perniciosos processos de aculturação sem que, por parte da esmagadora maioria das famílias, das Escolas e da sociedade em geral, se faça o que quer que seja para se proteger a nossa verdadeira cultura, os nossos usos e os nossos costumes.
Nos últimos anos, por esta altura, tem sido cada vez maior o número de crianças que vejo vestidinhas de Bruxas, ou com outros fatos alusivos ao Halloween. E atenção, é que os miúdos já nem dizem Dia das Bruxas, usam mesmo o termo em Inglês.
Ora vamos lá ver se nos entendemos, eu nada tenho contra os feriados, contra as festas, contra os usos e costumes doutros povos, doutros países, antes pelo contrário, sempre gostei de conhecer e de contactar com outras pessoas, com outras culturas. Mas quando se trata de tradições, eles têm as deles, nós temos as nossas.
O Dia das Bruxas, vulgo Halloween, é uma tradição cultural dos países Anglo-Saxónicos que nos tem entrado porta dentro pela inevitável televisão. Como a esmagadora maioria dos desenhos animados que passam na televisão são "Made in USA", as crianças, que são como esponjas quando se trata de absorver novas informações, acabam por aderir a esta festa como se a mesma fizesse parte da nossa cultura.
Cabe-nos a nós, Pais, Educadores, Professores, explicar que esta é uma tradição de outros países, de outros povos e que a mesma não faz parte das "nossas festas".
Mas ao invés, é cada vez mais frequente ver as crianças, em especial nos infantários, desenvolverem trabalhos e actividades com vista à celebração do tal Halloween.
Dir-me-ão que não faz mal nenhum as crianças brincarem ao Dia das Bruxas.
E eu direi que de facto não faz, não as magoa, não vem daí perigo imediato para elas, o perigo, esse vem a longo prazo, porque um Povo que se deixe aculturar desta forma é um Povo descaracterizado que tende a esquecer o seu passado. E um Povo que não se lembre do seu passado, é um Povo sem futuro.
Nesta data, o que nós sempre tivémos e deveríamos continuar a ter cá em Portugal, è a celebração do Dia de Todos os Santos, ou de Finados.
Nesse dia, as crianças saiam à rua logo pela manhã, e iam de porta em porta pedir "santinhos ou bolinhos" pela alma dos que já partiram.
Expliquem isto às vossas crianças, incentivem-nas a aderir a esta festa, a esta tradição, independentemente das questões religiosas que estão na origem da mesma (O Natal também é uma festa religiosa e mesmo os não crentes, onde eu me incluo, o festejam, certo ?), e ensinem-nas a ter prazer na sua própria cultura.

28 de outubro de 2010

25 de outubro de 2010

Teatro del Água.

São descobertas e invenções destas que ainda me vão dando alguma esperança relativamente ao futuro do nosso planeta.
Como todos sabemos, com o crescimento exponencial da população mundial e com a cada vez maior escassez de água potável no planeta, avizinham-se tempos complicados para a sobrevivência de milhões de pessoas, bem como da vida do próprio planeta.
Nalgumas zonas do globo, nomeadamente no Médio Oriente, esse problema tem sido ultrapassado com a criação de enormes Centrais de Dessalinização de água do mar, no entanto, estas centrais consomem enormidades de energia, e são grandes fontes de poluição. Os países do Médio Oriente, que são os maiores produtores mundiais de petróleo, não se preocupam muito, como é óbvio, com os consumos dessas centrais, mas a verdade é que noutras zonas do planeta a escassez de água potável é igualmente drástica e não têm a sorte de serem produtores de petróleo para poderem optar pela mesma solução.
No entanto, para bem de todos nós, o Inventor Charlie Paton teve uma ideia brilhante, capaz de produzir água potável a partir de água do mar, e com um consumo energético "zero" e poluição "zero".
Melhor que tentar aqui explicar esta brilhante invenção, deixo-vos um vídeo que explica na perfeição esta maravilhosa ideia.

 

22 de outubro de 2010

Adesão On-Line ... o tanas !

"Deslarguem-me" pá ! "deslarguem-me" que eu vou-me a eles !
Cum catano, cum caneco, cum camandro !

Há que tempos que ando a reclamar de ainda não ter tratado da Via Verde para o carro. Sempre que me vejo forçado a parar numa portagem para pagar, lá digo eu o mesmo :
- Epá ! tenho de ver se vou tratar disto da Via Verde o quanto antes.
Mal sabia eu o que me esperava.
Desde o início da semana que tento aceder ao site da Via Verde para fazer o pedido (On-Line) de adesão ao serviço.
Umas vezes o site está em baixo, noutras, quando clico no Link para a adesão On-Line simplesmente não faz nada, mas hoje, aleluia ! finalmente consegui entrar onde queria e preenchi todos os dados, quando seleccionei a opção de Extracto Digital, já depois de ter preenchido todos os dados ... tcharaaaan !!! Erro ! Try again later !
Depois de vociferar uma quantidade significativa de palavras que não podem ser aqui transcritas, inspirei fundo 3 vezes, engoli em seco, e lá me decidi por repetir todo o processo.
Confesso, antes de clicar na tal cruzinha de novo, senti-me como um pistoleiro do velho Oeste no momento de sacar da arma num duelo. Aquele friozinho na barriga, o medo do que estava para vir no segundo seguinte, a adrenalina ao máximo e os músculos tensos, preparado para o pior.
Saquei da arma, no caso o rato, e pimba, em cheio ! funcionou às mil maravilhas.
Durou apenas um segundo a minha alegria, apenas o tempo para o bem dito site me abrir uma nova página onde me informava que o pedido havia sido registado e que, pasmem, agora só precisava de abrir o ficheiro PDF em anexo com a proposta, imprimi-la, assiná-la, enfiá-la num envelope, dirigir-me aos correios e enviá-la para a morada que me davam nessa mesma página.

Mas que merda vem a ser esta, pá ?
Estão a brincar comigo ?
Então desenvolvem uma porcaria dum site, criam uma opção de adesão On-Line no mesmo, que depois me remete para o mais primitivo dos processos que é preencher um papel e enviá-lo pelo Correio !
Esta gente tem a noção do que quer dizer On-Line ?
Se eu não andasse nestas andanças da Informática há já 20 anos, se calhar nem me enervava tanto, o pior é que eu sei porque é que estas coisas acontecem.
Sabem como é ? eu explico.
O Director responsável pelo pelouro da Informática, tem uns amigos na Empresa X que presta serviços informáticos. Marcam um almocinho, combinam as "luvas", abre-se mais tarde um concurso, fictício, apenas para Inglês ver, e a empresa seleccionada para desenvolver o tal site, ou a tal "feature" de Adesão On-Line é a do tal amigo.
A empresa X ganha umas massas valentes, porque contrata uns míudos acabados de sair da Faculdade para fazerem o tal site, paga-lhes uma miséria, e como não tem ninguém em condições para testar o produto final, aqui o "je" e outros "jes" como eu apanham estes nervos todos, porque a coisa simplesmente não funciona.
Entretanto, o tal Director oferece um carro novo à mulher, ou passa umas férias de sonho com a família, ou com a amante, à conta das tais "luvas" recebidas, e assim vai andando a coisa.

Assim vai o nosso país, e assim se chega à necessidade de criar PEC's de 3 em 3 meses !

"Deslarguem-me" pá ! "deslarguem-me" que eu vou-me a eles !
Cum catano, cum caneco, cum camandro !

20 de outubro de 2010

Cirurgias.

Ontem, fui surpreendido com a notícia que dava conta de que o tristemente conhecido, "homem sem rosto", que vária vezes vi ali pelo Rossio, havia sido operado com sucesso nos EUA.
Fiquei satisfeito, como é óbvio, sempre me fez muita impressão ver o estado a que aquele senhor havia chegado.

Fico agora a aguardar que, o quanto antes, alguém se proponha a operar a "senhora sem cérebro".
Coitada ... bem precisa !

18 de outubro de 2010

Triste realidade.

(recebido hoje, por mail)


15 de outubro de 2010

Unavantaluna - friscalettata

Con un grande abbraccio ai miei amici Italiani, il gruppo musicale Unavantaluna, voglio vedere ancora presto.

13 de outubro de 2010

Dívida do Estado à Metro Sul do Tejo.

O mesmo Governo que me pede para apertar o cinto, que me pede que pague mais impostos, que me pede que trabalhe mais anos por menos dinheiro, que me retira regalias sociais na saúde, na educação, na velhice, este mesmo Governo, é aquele que, por incumprimento escandaloso da sua parte, se prepara para levar à falência o melhor e mais amigo do ambiente meio de transporte da minha cidade, o Metro Sul do Tejo, em Almada.
Obra emblemática e essencial para uma cidade que se quer evoluída e sustentável em termos ambientais, e que só foi por diante por força da intervenção do poder local, leia-se Câmara Municipal de Almada, que avançou com verbas do seu orçamento, que deveriam de ter sido cedidas atempadamente pelo Governo Central, para que a mesma fosse concluída e colocada ao serviço da população, corre agora o sério risco de vir a cair na falência.
Deve o Estado à MTS cerca de 7 Milhões de Euros, pondo com isso em risco um investimento avultadíssimo e que se tem revelado um sucesso e uma enorme melhoria na qualidade de vida duma das cidades mais populosas do país.
Talvez, digo eu, se esse mesmo Estado fosse mais poupadinho, e não tivesse gasto 10 Milhões de Euros nos festejos do Centenário da Republica, não estivássemos agora a correr o risco de ver o Metro Sul do Tejo ser encerrado.

11 de outubro de 2010

Será o Homem assim tão inteligente ?

Muitas vezes me tenho questionado sobre a verdadeira inteligência humana. É um facto que a evolução tecnológica a que temos assistido é algo verdadeiramente demonstrativo de quão capaz o Homem é, em termos de inteligência, mas depois há situações que me levam a pensar o contrário.
Repare-se, por exemplo, na questão das energias. O Homem com certeza que ligou o "complicómetro" nesta matéria.
Para produzir energia o Homem deu-se ao trabalho de descobrir uma matéria prima, o petróleo, que se encontra a metros e metros de profundidade, que precisa de uma tecnologia elaboradíssima para de lá ser retirado,  que depois precisa de ser transportado por complicados meios de transporte para umas não menos complexas refinarias, onde, por meio de elaborados processos químicos e de fabricação consegue então produzir gasolina, gasóleo e outros afins.
Só agora, depois de começar a verificar que essa mesma energia á a causadora da destruição do meio ambiente é que o Homem começou a canalizar a sua inteligência para energias alternativas, sendo que, algumas delas, como são o caso da energia solar e da energia eólica, são bastante menos complexas e as suas matérias primas sempre estiveram ao dispor do Homem.

E agora, com a situação dos 33 mineiros Chilenos que se encontram soterrados há mais de 2 meses, as minhas dúvidas sobre a inteligência Humana foram novamente acicatadas.
Que raio de inteligência é a nossa, que nos meados do Sec XIX foi capaz de fazer perfurações no solo para de lá extrair petróleo, e agora, em pleno Séc. XXI  levamos 3 meses para retirar duma mina, a uma ridícula profundidade de 625 metros, 33 pessoas que lá ficaram encurraladas ?

Dá que pensar, não dá ?

9 de outubro de 2010

É uma questão de fazer as contas ...

Talvez por causa da minha actividade profissional, que me obriga a uma exactidão de cálculo constante, e onde nada pode ser feito ou calculado com base no "mais ou menos", acabei por me ir tornando, ao longo dos anos, um verdadeiro discípulo do rigor e da exactidão, não me permitindo nunca, e não gostando de permitir aos demais, que se navegue em zonas de "cinzentismo", as coisas ou são brancas, ou são pretas, cinzento, nunca !
Isto tudo para explicar o calafrio na espinha que senti ontem ao tomar conhecimento da alegria que reinava na pessoa do nosso Ministro das Finanças, Dr. Teixeira dos Santos, quando veio, entusiasticamente, afirmar que, afinal, a receita fiscal se cifrou nuns estrondosos 3,8% contra os inicialmente previstos 1,2%.
E veio ele todo feliz, confessar este tremendo erro de cálculo ?
Mas que confiança pode algum Português ter nas contas, nos cálculos, nas previsões, que esta gente efectua ?
De 1,2% para 3,8%, vai uma distância superior a 200% de erro no cálculo, meus amigos.
Calhou a ser para cima, no sentido positivo, o problema é que na maior parte das vezes esses erros de cálculo têm sido para baixo, tão para baixo que os PEC's se sucedem ao ritmo dos seus próprios erros.
De facto, a falta de rigor instalou-se de forma descarada, e até já serve de bandeira política a estes Srs. do PS.
Vejam o estado a que isto chegou !

6 de outubro de 2010

Farto !

Já lá vão 4 dias que não "posto" nada aqui, devia, mas ...
Liga-se a televisão e dá-se de caras com a crise, vai-se à Net, crise, liga-se o rádio, crise, passa-se os olhos pelos jornais, crise ...
Sai-se de casa, chuva, trânsito, confusão, pessoas a atacarem-se logo de manhã pelo melhor lugar para a "pole position" na fila de trânsito, como se disso dependesse a sua própria vida.
Falo com os amigos e todos dizem o mesmo, estão fartos do ambiente de trabalho, seja em que sector for, as pessoas atacam-se, ofendem-se, fazem da inveja e do ódio as suas prioridades, derrubar o colega do lado é a "promoção" tão ansiada.
Vai-se às compras, e como se não bastasse os preços estarem incomportáveis, as pessoas atropelam-se com os carrinhos de compras para passarem à frente umas das outras, discutem, berram.
Sabem que mais ?
Este merda não tem remédio !
Acho que vou hibernar.
Acordem-me quando isto for um país. 

2 de outubro de 2010

Eça, sempre actual ... ou nós, Europeus, sempre na mesma ?

"Hoje que tanto se fala em crise, quem não vê que, por toda a Europa, uma crise financeira está minando as nacionalidades? É disso que há-de vir a dissolução. Quando os meios faltarem e um dia se perderem as fortunas nacionais, o regime estabelecido cairá para deixar o campo livre ao novo mundo económico."

Eça de Queiroz,  in "O distrito de Évora" (1867)

27 de setembro de 2010

Sesta Alentejana.

As portadas estavam abertas de par em par e a janela escancarada, com as cortinas ligeiramente corridas, permitindo assim que o quarto se inundasse da aconchegante luz daquela amena tarde de Outono.
O silêncio único daquele Alentejo profundo, só de quando em vez era interrompido pelo zumbido das abelhas e das vespas que se banqueteavam, lá fora, nas buganvilias que ladeavam a porta da entrada e subiam, emaranhadas, até à janela do quarto no 1º andar.
Ao longe, ouvia-se também, mas de forma muito ténue, o concerto dos chocalhos das ovelhas que pastavam no serro que levava à Capelinha de São Saturnino.
O corpo lânguido, e a mente torpe, deixavam-se levar por aquele festival de sensações, entregando-se ao prazer único da mais perfeita das sestas.
E que bem que sabe, estar naquele estado de dormência, onde se consegue, quase em simultâneo, ter a percepção de todas aqueles sensações únicas, mas, ao mesmo tempo, dormir e deixar que a mente vagueie por entre sonhos e realidades misturadas.
A sesta no Alentejo é outra coisa !

24 de setembro de 2010

22 de setembro de 2010

Ainda os ciganos (Vol. II)

O Órgão Europeu dos Direitos Humanos tomou rapidamente posição contra a deportação de ciganos de França.
Será que este mesmo Órgão tem opinião formada sobre :

1) As crianças ciganas que são proibidas, pelos próprios pais, de frequentarem a Escola.
2) As crianças ciganas que são obrigadas, pelos próprios pais, a trabalharem como vendedores ambulantes pelas ruas das cidades.
3) As jovens ciganas que são impedidas de escolher o seu futuro marido, sendo obrigadas a casar com quem lhes está destinado por "arranjo" entre famílias ciganas.
4) As jovens ciganas, com idade menor,  que são entregues para casamento.
5) As jovens ciganas que são violadas (sexo sem consentimento é violação) pelos maridos que lhes foram destinados.
6) A escravidão a que a maioria das mulheres ciganas é sujeita pelos maridos.

Os problemas resolvem-se pela base, e se estes Órgãos fizessem o trabalho que verdadeiramente lhes competia, ao invés de se limitarem a servir os interesses políticos, demagógicos e propagandistas, o mais natural era que, no caso dos ciganos, já não fosse preciso intervir na sua deportação, porque ela simplesmente não teria ocorrido.
São estas questões de base que todos deveriam de se esforçar por analisar e compreender, antes de tomarem posições ao sabor do flash da máquina fotográfica.
Aqueles que agora se indignam com a deportação dos ciganos de França, sem se darem ao trabalho de compreender porque é que os ciganos são constantemente vítimas (talvez de si mesmos) de situações destas, acabam por ser os seus piores inimigos.

20 de setembro de 2010

Ainda os ciganos.

Discordo profundamente da forma como a questão dos ciganos deportados em França tem sido tratada como sendo uma questão de Esquerda ou de Direita, fazendo-nos crer que quem defende que não deviam de ter sido deportados é de esquerda, e quem pensa de forma contrária é de direita.
Não me parece que passe por aí a questão dos ciganos, ou se passar, então, terei de rever as minhas argumentações e o meu posicionamento de esquerda.
A questão aqui é iminentemente legal, isto é, vivemos numa sociedade regida por leis e aqueles que não as cumprem devem sujeitar-se às penas estabelecidas.
Acampamentos clandestinos de pessoas, ciganas ou não, podem e devem ser motivo da intervenção das autoridades reguladoras e/ou policiais.
Querem defender os ciganos só porque são ciganos, porque fica bem dizermos que respeitamos raças e étnias diferentes ?

Então deixem-me colocar-lhes esta questão :

Em 1993 visitei a Guiné-Bissau juntamente com um amigo Guineense que trabalhava comigo. Conheci por lá gente de variadíssimas étnias, uma vez que na Guiné existem várias étnias diferentes dentro do mesmo território.
Conheci algumas pessoas do norte da Guiné, duma zona onde, me contaram, até em tom de gozo, haverem tribos onde o canibalismo era aceite, até há bem pouco tempo atrás, como uma prática normal.
Como devem calcular, é bem possível que possamos ter hoje em dia a viverem em Portugal várias pessoas dessa zona da Guiné.
Se um dia destes eles decidirem começar a comer um ou outro vizinho ao pequeno-almoço, devemos aceitar isso, para não sermos acusados de desrespeitadores duma cultura diferente da nossa ?
Não creio, certo ?
Pois é !
Respeitar raças e étnias ? sim, concordo.
Respeitar credos e religiões ? sim, concordo.
Respeitar tradições ? sim, concordo.
Mas quando elas colidem com a legislação vigente, então, paciência, terão de se sujeitar aos castigos previstos, ou, como foi o caso em França, á sua deportação, como manda a lei.
E não me venham com esquerdices ou direitices nestas matérias, pois trata-se apenas de fazer cumprir a lei, nada mais que isso.

18 de setembro de 2010

Novo Seleccionador.

Depois do "piloto automático", depois da tentativa de contratar Mourinho para treinar á distância, quem sabe, através de vídeo-conferência, penso que a Gilberto Madaíl só lhe resta contratar um Comando de PS3 para comandar a equipa das Quinas.


Por meros 50 Euros, na loja mais perto de si ...

15 de setembro de 2010

Alentejo de fora das 7 Maravilhas Naturais.

Ainda bem que aqueles que votaram e deixaram o Alentejo de fora, não conhecem este paraíso :



Mas também não sou eu que lhes vou dizer onde é, que isto é bom é sem ter lá o "canalhedo" a sujar, a fazer barulho e a degradar a vida natural e a biodiversidade.

Nota :
para visualização das fotos em formato normal, clicar sobre a apresentação dos slides, na janela seguinte escolher a opção (no lado direito ecran) de full-screen. Podem fechar a (irritante, e não sei como removê-la automaticamente) publicidade clicando na cruzinha do canto superior direito da mesma.

13 de setembro de 2010

Começou hoje, de novo.

Depois de três meses de Verão, o despertador voltava a tocar às seis em ponto.
O acordar não era difícil, a vontade de voltar à rotina diária era grande e para além disso, novos amigos, novos ambientes, estavam à minha espera.
Era preciso despachar-me, o autocarro partia às 6:35 do Largo do Almada, no coração de Vila Nova de Milfontes. Logo aí, na entrada do autocarro, começava a alegria, a festa, voltavam-se a ver rostos conhecidos, e ainda outros novos que se juntavam ao grupo.
Os primeiros 15 Km's faziam-se de conversas, de estórias do Verão que agora acabava.
Chegava-se ao Cercal do Alentejo, e aí, muitos mais se juntavam ao grupo. Mais caras novas, a juntar às de anos anteriores. A alegria e o prazer de nos revermos, esse era o mesmo de sempre.
Ás 7:10, o autocarro voltava à estrada, agora com destino a Santiago do Cacém.
As conversas multiplicavam-se, as brincadeiras ocorriam, umas atrás das outras e sem parar, os mais sonolentos e que se deixavam dormir eram as primeiras vítimas das partidas dos restantes. Pelo meio ainda havia tempo para, de quando em vez, sair um cantar Alentejano para animar o ambiente.
Chegávamos à Rodoviária de Santiago por volta das 8:00, o caminho a pé até à Escola, nesse primeiro dia de aulas é algo que ainda hoje recordo na perfeição. Lembro-me de tudo, dos cheiros e das cores tão típicas daquelas maravilhosas manhãs de Setembro, que se despediam do Verão e anunciavam já o Outono que aí vinha. Lembro-me das vozes e dos trejeitos dos amigos, da expectativa de ver quem eram as novas caras da turma, de ver as "míudas", de ver os professores do ano anterior e de conhecer os novos, enfim, uma festa, uma alegria tão grande, tão intensa, que ainda hoje a recordo, não tanto com saudade, mas sim com satisfação, muita satisfação de ter vivido tudo isso de forma plena e poder estar aqui hoje, no início de mais um ano lectivo, a recordar tudo isto, cheio de alegria.
Para todos aqueles que hoje começaram mais um ano lectivo, desejo-lhes felicidades, e que aproveitem para se divertir, não perdendo nunca de vista o objectivo principal, que é aprender.
Mais que nunca o País precisa de vocês, dos estudantes de hoje, que serão os Homens de amanhã e que poderão fazer guindar o País para outros patamares.

Viva a Escola.

10 de setembro de 2010

Nojeira inqualificável.

Depois da nojeira a que se assistíu hoje no Estádio Afonso Henriques, no jogo entre o Vitória de Guimarães e o Sport Lisboa e Benfica, é impossível calar a revolta que me vai na alma.
De tudo se viu por parte da equipa de arbitragem liderada pelo árbitro (?) Olegário Benquerença, desde penaltis a favor do SLB (e foram 2)  roubados escandalosamente , foras de jogo mal assinalados que anularam lances de golo eminente do Benfica, e como se isso não bastasse, inundou a equipa do Benfica com cartões amarelos, alguns em que a falta foi inclusive cometida por jogadores do Vitória.
Tenho o Blogue há um ano e nunca tinha escrito um post sobre um jogo de futebol, mas hoje meus caros, hoje foi demais, e não consigo calar a revolta.
O Benfica Campeão incomoda muita gente, e o "polvo" está alerta e bem vivo.

9 de setembro de 2010

Descubra as diferenças.





Uns queimam livros sagrados, outros queimam bandeiras.
Resumindo, ambos queimam simbolos importantes, e são ambos igualmente estúpidos, que não medem as consequências dos seus actos.
No meio disto tudo, surgem os "media" que ora vitimizam uns, ora outros, sempre com o intuito de ter o share em alta.
Mundo louco este de hoje !

8 de setembro de 2010

Idiossincrasias.

No mesmo dia em que a Selecção Nacional de Futebol perdeu com a sua congénere Norueguesa, por 1 -0, a nossa Selecção de Hóquei em patins esmagou, por contundentes 14-1, a Selecção Inglesa.
Bem vistas as coisas, é perfeitamente normal que assim tenha sido.
Sempre fomos um povo habituado a ter de ganhar a vida andando de "costas dobradas", com um "pau nas mãos" (seja de enxada, vassoura, etc.) e por fim ainda nos enfiaram sempre um "par de patins" !

6 de setembro de 2010

Pouca "Visão".

O director executivo da revista Visão, Filipe Luís, foi ontem convidado na SIC Notícias a pronunciar-se sobre o discurso proferido por Jerónimo de Sousa, no comício de encerramento da festa do Avante.
Segundo Filipe Luís, o discurso de Jerónimo pecou por ser demasiado extenso e disperso sobre demasiados temas.
Mas logo de seguida, talvez baralhado pelas luzes do estúdio, Filipe Luís afirmou que faltou, por exemplo, que Jerónimo de Sousa se pronunciasse sobre a condenação à morte por lapidação da mulher Iraniana Sakineh Mohammadi-Ashtiani, deixando implícito nas palavras e no tom a ideia de que o PCP estaria de acordo com esta barbaridade.
O que Filipe Luís fez, ou tentou fazer, e nisso não está sozinho como bem sabemos, é tentar passar uma mensagem eivada de mentira, de maldade e de propaganda política anti-esquerdista. Para um director  executivo duma revista com a tiragem da Visão, essa postura só lhe fica mal, muito mal. Mas por outro lado entende-se, basta não nos esquecermos que a revista Visão faz parte do Grupo Impresa, cujo Presidente todos sabemos quem é.
O Sr. Filipe Luís ouviu, por acaso, algum membro do PCP apoiar a pena de morte por lapidação, seja no Irão ou noutro qualquer ponto do planeta ?
O Sr. Filipe Luís achará, por acaso, que o actual Presidente do Irão, Mahmoud Ahmadinejad é Comunista, ou mesmo filiado no PCP ?
Saberá o Sr. Filipe Luís, por acaso, que as duas facções políticas que lutam pelo poder no actual Irão são, por um lado os Conservadores, por outro os Reformistas, e que as diferenças substanciais entre eles se fazem, não tanto pelas ideologias de Esquerda ou de Direita, mas sim por questões eminentemente religiosas ?
Eu acredito, sinceramente, que o Sr. Filipe Luís é capaz de saber tudo isto, ou pelo menos devia, mas o que ele tentou e tenta fazer é passar uma imagem demoníaca da Esquerda Portuguesa, nomeadamente do PCP, na vã esperança de ainda tentar convencer alguns espíritos mais incautos, de que os Comunistas comem criancinhas ao pequeno almoço.
Mas para ele só tenho uma resposta :

- Olhe que não Sr. Doutor, olhe que não !

4 de setembro de 2010

Não há festa como esta.

Um gajo acorda de manhã, liga a televisão, e o que é que vê ?
Vê que ainda estão activos 9 fogos em território nacional, e fica-se com o coração apertado por sabermos que já pouco falta para deixarmos de ter uma única mancha verde neste país.
Vê, pela enésima vez, os argumentos do Prof.Carlos Queiroz a tentar defender-se da mais que evidente cabala que lhe foi montada pela tentacular FPF. Onde Gilberto Madail e seus pares são de facto uma autêntica Camorra, e onde o Dr. Luís Horta se presta, mais uma vez, ao papel de "peão de brega" dos seus "padrinhos".
O dia decorre, e passadas umas horas o que é que se vê ?
Vê-se as sentenças do caso Casa Pia, que são, a meu ver, curtas, tardias e que infelizmente recaem apenas sobre alguns dos autores dos crimes, sendo que, a "caça grossa" ficou de fora.
Vê-se, o Dr. Marinho Pinto, que sabe do que fala neste capítulo, dizer que nenhum deles vai cumprir a pena, porque vão arrastar os processos até que os mesmos prescrevam.
Vê-se que morreu o nosso querido José Torres, o bom gigante.
E mais tarde, através da mesma televisão, ainda se pode assistir ao descalabro duma selecção em cacos, e para onde são convocados delinquentes (Miguel do Valência), jogadores que não jogaram ainda um jogo esta época (Beto, R.Meireles e Manuel Fernandes), Brasileiros (Liedson), Venezuelanos (Dany) e ainda alguns eternos coxos (Moutinho e Rolando à cabeça).

Perante tudo isto, só há 3 saídas possíveis :

O suicídio. Que sinceramente não me agrada muito.
Um tiro na televisão. Que é coisa para me custar uns "cobres" e não estou para isso.
Ou então, num rasgo de inteligência, coerência, determinação, patriotismo e clarividência política, pega nele e raspa-se para a maior festa que este país conhece.

Optei, e bem, pela ultima opção e consegui, num dia triste, ser feliz em plena Festa do Avante.
De facto, como diz o lema, "não há festa como esta".