12 de outubro de 2009

Ganhou Almada !

Mais do que festejar a vitória da CDU, festejo o facto do Povo Almadense ter mostrado de forma clara e inequívoca que tem memória, que tem princípios e que respeita os filhos da nossa cidade.
Estou-me cagando para o politicamente correcto, porque vergonha tenho eu de ter gramado aqui, durante esta campanha, com um verme como é o candidato do PS para Almada e que eu me recuso a reproduzir aqui o seu nome.
Um verme que, aproveitando o seu tenebroso passado recente, e a ira que isso causa nas pessoas bem formadas, tudo fez durante esta campanha para que fosse agredido, tendo os seus lacaios provocado tudo e todos nas suas acções de campanha, tentando com isso que se criasse aqui um novo caso como o da Marinha Grande há décadas atrás.
Mas enganou-se, porque nem ele tem o calibre de Soares, nem o povo Almadense desce a esse nível.
Mais uma vez o Povo Almadense demonstrou a sua superioridade política e intelectual, deixando bem claro que aqui não há lugar para patifes, para mal feitores, muito menos para aqueles que não respeitam a dignidade humana.
Enquanto cidadão anónimo de Almada, deixo aqui um grande bem hajam para todos quantos contribuíram para a vitória da Dignidade, não esquecendo também de manifestar o meu mais profundo agradecimento à nossa Presidente, Maria Emília Sousa, por tudo o que de bom tem feito pela nossa cidade, pelo nosso Povo.
Almada sempre !

10 comentários:

  1. Parabéns Eduardo!
    A espernça é a última a desaparecer e pelos vistos, ainda há pessoas boas, até na política!
    Fiquei muito contente!... :)

    ResponderEliminar
  2. Como não conheço a autarca e a sua obra, abstenho-me de formular qualquer juízo. Mas acredito que as pessoas não se iam andar a enganar eleição após eleição!

    ResponderEliminar
  3. Dada a minha postura apartidária, que acontece motivada pela minha total incapacidade de me rever plenamente em qualquer um dos nossos partidos políticos, acabo sempre por tentar votar nos projectos e nas pessoas que os compõem, o que nem sempre é fácil.
    No caso em concreto das autárquicas, não em tem sido muito difícil optar, dada a boa gestão que, a meu ver, tem sido levada a cabo pelo actual elenco.
    Já nas legislativas .... upa ! upa ! tem sido uma dor de cabeça escolher.
    Este ano em particular, e tendo em conta o "artista" que o PS para aqui mandou, confesso que tenho andado a espumar da boca !
    E nem quero saber se o homem foi absolvido. Porque a justiça que o absolveu é a mesma que faz ouvidos moucos aos atropelos legais que o Alberto João Jardim comete amiúde, é a mesma que não mexeu uma palha nas penúltimas eleições autárquicas quando o Dr. Mário Soares, à saída das urnas se pôs a apelar ao voto no filho, é a mesma que não agiu em conformidade com o Avelino Ferreira Torres, ou com a Fátima Felgueiras, ou com o Pinto da Costa, ou com o Freeport, ou com o Valentim Loureiro, ou ....
    Em consciência, algum de nós pode acreditar nesta justiça ?
    Eu não !

    ResponderEliminar
  4. Eduardo, eu ouvi esse grito aqui!
    Foi lá do fundo.

    um abraço

    ResponderEliminar
  5. Paulo, você fez a leitura correcta, correctíssima mesmo do meu ... grito !
    É que foi mesmo um grito cá do fundo das entranhas.
    Felizmente que esta "época" eleitoral acabou, para ver se uma pessoa não recebe tanto estímulo político e se deita a pensar noutras temas bem mais interessantes.

    ResponderEliminar
  6. Só posso dizer que se votasse em Almada votava CDU. Aliás votei CDU, e logo em 3 boletins.

    ResponderEliminar
  7. Oh Rui ! estou aqui a rebolar-me a rir, porque já te estou a ver.
    Uma cruz na foice e no martelo, um Pai nosso.

    Espera lá, rezar não pá ! que isso para ti ainda é pior que pores as cruzinhas na foice e no martelo.

    ResponderEliminar
  8. Uma grande vitória numa terra que muito considero. Nomes não ganham câmaras, essas são ganhas por quem trabalha.

    ResponderEliminar
  9. Rui Figueiredo Vieira,
    obrigado pelo seu comentário e pela grande verdade que disse.

    Volte sempre.

    ResponderEliminar
  10. Não foi preciso rezar (cruzes!), até porque repeti o voto de há 4 anos. O gajo do PS é um gosma, mas para a direita não voto. De forma que, pelo menos, contribuí para a eleição de um deputado municipal comunista numa terra de reaças.

    ResponderEliminar