6 de outubro de 2009

Silêncio, que a Diva vai cantar o Fado.

7 comentários:

  1. Muito bem lembrada a efeméride. A grande diva do fado e uma grande mulher.

    Lembro-me de numa entrevista se lhe terem dirigido por Dona Amália, ao que ela respondeu: Acho que já ganhei o direito a ser chamada apenas Amália. Ora, num país de doutores e engenheiros de caca, sempre tão afoitos a puxar dos galardões, aqui está uma grande lição: importante é quem é conhecido no mundo inteiro apenas pelo nome próprio.

    ResponderEliminar
  2. Como ouvi hoje uma pessoa a dizer na TV, Amália pode ter morrido há 10 anos, mas vai viver muitos anos na nossa memória, nos nossos ouvidos e no nosso coração.

    ResponderEliminar
  3. Quando falamos de um Portugal Maior estamos a falar também de Amália.
    É esse Portugal que, mais do que "vender" ao mundo, temos de saber "vender" a nós próprios.

    (não é nada fácil...)

    ResponderEliminar
  4. AMÁLIA, um vulto da nossa Cultura e das nossas tradições!
    E como era hábito dizer-se, silêncio que se vai cantar o fado.

    ResponderEliminar
  5. Eu já me calo para a ouvir.

    ResponderEliminar
  6. Rui,
    isso é bem verdade, e a prová-lo está o sempre saudoso Agostinho da Silva, que coleccionava cursos, pós graducações, mestrados e outros afins e nunca usou título académico.
    Era, e será sempre, o Agostinho da Silva.

    ResponderEliminar
  7. As pessoas como a Amália são eternas, basta relevar as palavras de Camões:

    "E aqueles que por obras valerosas
    Se vão da Lei da Morte libertando."
    Os LUSÍADAS, Canto I, estância 2

    ResponderEliminar